GD Fabril 2, Aljustrelense 0 - ...a nossa voz.

ÚLTIMAS

Weather (state,county)

BLOG NÃO OFICIAL DO GD FABRIL

domingo, fevereiro 24, 2008

GD Fabril 2, Aljustrelense 0

Que vitória!!! Fabril, Fabril, meu Fabril. Isto sim...
Podemos até esquecer a primeira parte onde o jogo não foi bem jogado por ambas as equipas, mas mesmo onde o Fabril poderia ter ganho vantagem.
Agora a 2.ª parte, ui que futebol. Maravilhosos 45 minutos. O Fabril teve varias oportunidades de golo e concretizou duas, a primeira por David Martins e a segunda por Luís Costa. Deu para tudo, até para olés.
Continua assim Fabril faz-nos sonhar mais um pouco. Obrigado pelo esforço de todos, são uns guerreiros.

5 comentários:

  1. mais 1 vitoria ...mais uma jornada sem perder...pena o empate a semana passada dps de estar a vencer por 2.0

    este foi 1 jogo k por motivos profissionais n pode ver...mas deixo aki os parabens ao FABRIL...continuem assim....k no fim fasemos contas...

    ResponderEliminar
  2. Grande, grande GDF! Grande jogo, grande segunda parte. Parabéns a todos. E que tal irmos a Évora? Com uma vitória ali podemos até garantir a manutenção... Força GDF!

    ResponderEliminar
  3. Garantir a manutenção? Espero e desejo que o fabril na próxima época esteja na 2ªB e era giro com o Barreirense

    ResponderEliminar
  4. "MP"

    Disse-me um dia...
    Preciso muito de falar contigo.
    Comigo??
    Notei que algo de grave se passava, as gargalhadas que punha nas palavras não existiam .
    Pensei!!
    Tenho que deixar cair de mim o costume do meu silêncio, como as folhas do Outono.
    .........É como se de repente o mundo terminasse, disse-me ele.
    Era urgente ouvir,dei conta e ouvi.
    Confesso que pedi socorro a mim mesmo, não podia silenciar a minha voz, talvez devesse eu esconder-lhe com alívio de palavras a sua relação tempestuosa com a vida.
    E soltei uma gargalhada solta e obrigada.E palavras não escolhidas mas surgidas.
    .........Por vezes temos de caminhar sobre folhas secas para repararmos nas novas, as que nascem, sermos fortes, darmos encontrões à vida que nos dá encontrões, disse-lhe eu.
    As palavras tiveram o brilho das estrelas,porque ele sorriu, sorrimos, falámos com gargalhadas contagiantes "daquilo" e do que era também importante, mais importante porque se desfez o receio que trazia.
    Falámos do João, do Ricardinho, do André e de "aquilo que era uma quinta dele" como alguém em jeito impróprio e desajustado disse um dia referindo-se ao lugar onde ele se encontrava com ele e com a vida.
    Estou a treinar fãs,outros,noutra quinta disseram-me aqui há tempos que eu tinha uma quinta disse-me ele a gargalhar há semanas atrás.

    "M" de MIKE
    "P" de PLOWDEN"

    MIKE PLOWDEN

    ResponderEliminar
  5. boa escrita parabéns

    ResponderEliminar

Regras dos comentários

...a nossa voz mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações do Clube entre seus leitores, além de aprofundar debates sobre assuntos abordados nos artigos.

Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente das suas ideias ou divergência das mesmas, no entanto não pode tolerar constantes insultos e ameaças.

Assim o blog não aceita (ou apagará) comentários que:

- Contenham cunho racistas, discriminatórios ou ofensivos de qualquer natureza contra pessoas;
- Configurem qualquer outro tipo de crime de acordo com a legislação do país;
- Contenham insultos, agressões, ofensas;
- Contenham links externos que nada acrescentem à 'discussão';
- Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

Não cumpridas essas regras, o blog reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio.

Avisos:

- Respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade civil e penal de seus autores e/ou “reprodutores”, participantes que reproduzam a matéria de terceiros.
- Ao postarem suas mensagens, os comentadores autorizam "..a nossa voz" a reproduzi-los no blog;

Não se esqueça que para ser respeitado terá de respeitar primeiro. Este espaço respeita-o, faça o mesmo.